Toda mulher tem umidade vaginal e é natural. Entenda!

Por mais que possa ser um pouco desconfortável e parecer que não é um procedimento natural do nosso corpo, a secreção vaginal é muito mais comum do que parece. Ela é uma das formas naturais que o seu corpo possui de manter o tecido da região íntima úmido e limpo, essencial para nossa saúde. Conversamos com a ginecologista Camila Ramos para tirar todas as dúvidas relacionadas a esse processo e entender a diferença entre corrimento vaginal e a umidade vaginal.

Toda mulher tem umidade vaginal?

Sim, por mais que pareça estranho, todas as mulheres desde a primeira menstruação até a menopausa produzem uma secreção vaginal diariamente. “Essa secreção varia de acordo com o ciclo menstrual da paciente em questão”, explica a ginecologista. Geralmente essas secreções possuem aspecto claro, transparente, sem cheiro, não causam ardência ou qualquer tipo de irritabilidade e a região vaginal fica com a coloração normal.

A umidade na calcinha pode causar algum problema para a saúde íntima?

A princípio não. Se a secreção vaginal tiver um cheiro ruim ou estiver acompanhada de forte coceira, isso pode acabar sendo um sinal de infecção. “Além disso, se a paciente sentir dor ao urinar ou no momento da relação sexual, o recomendado é que ela marque uma consulta com seu ginecologista para entender se realmente está passando por um quadro de infecção, ou se os odores e as dores possuem outras origens”, alerta Camila.

Como lidar com essa umidade no dia a dia?

É importante que a mulher entenda a diferença entre o corrimento vaginal e a umidade vaginal, embora eles sejam parecidos, esses dois tipos de secreção apontam coisas totalmente diferentes na saúde feminina. A produção da umidade vaginal serve para a proteção e para a lubrificação dessa área, e em algumas mulheres ela pode ser mais abundante, podendo causar um pouco de incômodo. Já os corrimentos vaginais geralmente estão ligados a inflamações e infecções na região da vagina ou do colo do útero.

Caso a paciente esteja se sentindo incomodada com a umidade, primeiro ela deve ser consultada pelo ginecologista para avaliar se essa umidade é normal, ou seja, fisiológica. “Existem alguns hábitos como usar calcinha de algodão, usar sabonete neutro para limpar a região íntima e usar camisinha nas relações sexuais que evitam que a paciente tenha corrimentos vaginais”, adverte a profissional.

Dra Camila Ramos, ginecologista e obstetra da CLIMEB – Clinica Médica da Barra, CRM: 5295691-0
Fonte: Só Delas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *